Passe Digital

Artigos publicados
Mercado de infoprodutos

Celular pode explodir SE ficar carregando à noite?

Publicado em 28 de Dezembro de 2018 às 19h

Quando o celular cai na privada ou na piscina, para os modelos que não possuem a devida proteção (IP68), muitas pessoas costumam colocar o aparelho dentro de um ecipiente cheio de arroz. Será que isso realmente funciona?

Colocar o telefone molhado no arroz ajuda

É compreensível o desespero para que ele volte a funcionar normalmente. Afinal, apesar de ser um aparelho tão pequeno, carrega uma vida inteira com ele, não é mesmo? Mas de acordo com a especialista, isso não passa de um mito popular. "O arroz irá absorver apenas a água superficial do aparelho e não consegue sugar o que entrou nas peças do celular. E é exatamente esta parte que acaba sendo danificada", explica Tatiana. De acordo com ela, quando o celular cair na água o procedimento correto é desligar o aparelho e levá-lo a uma assistência técnica.

Pasta de dente ajuda a mascarar os arranhados da tela

Caso o celular não possua nenhum tipo de película protetora, é real o risco de trincar a tela. A queda não é o único responsável por este tipo de dano, ações rotineiras como colocar e retirar o celular do bolso ou o contato com superfícies não lisas também podem gerar alguns arranhões. Para esses pequenos danos, existe uma teorioa que diz que aplicar pasta de dente preenche os riscos, tornando-os "imperceptíveis". "Já vi alguns vídeos na internet afirmando que os componentes da pasta conseguiriam nivelar a tela, mas o que realmente pode acontecer é que o verniz protetor do LCD seja danificado ou até mesmo que o produto entre nos pequenos buracos do aparelho", esclarece a técnica. Felizmente, já existe no mercado uma pasta polidora específica e apropriada para diminuir o dano dos arranhões. Ainda assim, o ideal é usar películas protetoras.

Tela rachada prejudica o funcionamento do aparelho

É bastante comum ver pessoas utilizando o smartphone mesmo com o vidro rachado. Porém, de acordo com Tatiana Moura, o uso do aparelho quebrado não é recomendado. "Após a queda, mesmo que o aparelho esteja funcionando normalmente, há riscos tanto para o telefone, quanto para quem o está manuseando. Isso porque, com o tempo de uso, o trincado pode vir a aumentar de espessura e profundidade, afetando a funcionalidade do celular. Pequenos farelos de vidros também podem ser soltos, expondo o usuário a cortes", comenta a especialista. Segundo ela, em 95% dos casos a quebra é apenas do vidro e não do LCD. Neste caso, a troca apenas desse componente gera uma economia de 70% no orçamento.

Carregadores genéricos podem danificar a bateria do celular

"Em hipótese alguma deve se comprar um carregador que não seja de boa qualidade ou que não tenha garantia", aconselha Tatiana. O item pode causar sérios danos ao celular, como provocar encaixes imperfeitos, inchaço da bateria e superaquecimento do conector de carga, além de colocar a vida do usuário em risco, já que não possui sistemas de segurança embutidos, podendo causar explosões, choques e incêndios. "Um carregador de baixa qualidade tem vida curta, então, por mais que se pague barato nele, em questão de dias será necessário trocá-lo de novo", diz a técnica. O uso do carregador de baixa qualidade também pode ocasionar na perda de eficiência da bateria do celular. "Um bom carregador entende quando a bateria do aparelho está cheia e para, automaticamente, de enviar energia pra ela. Já os outros continuam mandando energia o tempo todo em que o celular estiver conectado na tomada, o que prejudicará a vida útil da bateria", aponta a especialista.

Deixar o celular ligado na tomada à noite é perigoso

Nos tempos atuais, é difícil encontrar quem não durma com o smartphone ao lado da cama. Seja por cair no sono enquanto navega pelas redes sociais, por preocupação em não ouvir o alarme, seja pela proximidade da tomada. Mas e as histórias de aparelhos explodindo, são reais? De acordo com a técnica, as chances são pequenas, mas todo cuidado é pouco. "Os fabricantes de smartphones já evoluíram bastante em relação às baterias, mas ainda podem vir a superaquecer, assim como todo dispositivo eletrônico". Para evitar qualquer tipo de problema, Tatiana Moura recomenda que se utilize um criado-mudo ou posicione o aparelho a uma certa distância do travesseiro. Se alguma falha acontecer, como um problema com o carregador, o celular conseguirá ser ventilado e a temperatura equilibrada.

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.

Veja também

Outros assuntos

Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão desktop
Passe Digital
um produto da LinkWS
desde 2016