Dicas de Sucesso Para Seu Churrasco

Publicado em 4 de Janeiro de 2019 às 14h

Dicas de Sucesso Para Seu Churrasco

1 - Local de Compra

Dê preferência para adquirir carne em estabelecimento de sua confiança, fique sempre atento à higiene do local. Lembre-se, as carnes devem permanecer refrigeradas e não expostas ao ambiente.
No local da compra, verifique se o balcão frigorífico é mantido em temperatura constante, isso é extremamente importante para a conservação das propriedades e sabor da carne. Alguns açougues aproveitam-se do consumidor e utilizam um sistema de iluminação do balcão com lâmpadas avermelhadas, mascarando a real cor das peças. A organização é outro ponto importante, cada produto deve ter o seu lugar. Cortes de diferentes espécies, como bovinos, suínos e aves, não devem jamais estar misturados.

2 - Embalagens

Hoje se encontra carne à venda tanto no balcão do açougue como em pequenas bandejas de isopor ou em embalagens a vácuo. Prefira sempre as carnes embaladas, tanto a vácuo como em badejas. Algumas dessas últimas podem utilizar do sistema de atmosfera modificada, que é uma mistura de oxigênio com gás carbônico injetada na embalagem para manter a qualidade da peça e prolongar a sua vida útil. Nesse tipo de embalagem, a carne chega a durar até dez dias, mesmo no refrigerador doméstico.

3 - Carne Inspecionada

Todo produto de origem animal deve ser avaliado por algum serviço de inspeção federal, estadual ou municipal que discrimina as informações sobre os produtos em sua embalagem. Carnes que não possuam o selo de inspeção provavelmente são de origem duvidosa.
A inspeção é realizada por um médico veterinário especializado, esse profissional é treinado para analisar as carnes minuciosamente. As embalagens têm em sua etiqueta a identificação do corte, o número de Serviço de Inspeção ( abreviado como S.I.F. na inspeção federal), o nome do frigorífico, a origem, a data de embalagem ou de validade e o sexo do aninal.
Sempre que possível, de preferência a esse tipo de carne, pois você tem garantias da segurança e procedência do alimento que está adquirindo.

4 - Saiba Mais de  Carnes de Primeira ou de Segunda

Essa dúvida ainda persegue muitos brasileiros, mas a proposta é simples. Não existe carne de primeira ou de segunda. Toda carne é de primeira se o gado for saudável.
Convém explicar que a sabedoria popular não está totalmente enganada. Se colocados na grelha durante um curto período de tempo, a carne de primeira e a de segunda, a diferença entre as duas será nítida a carne de primeira ficará muito mais macia e saborosa que a de segunda, que permanecerá dura.
O motivo é porque as carnes ditas de segunda têm alto ter de colágeno que enrijece com o calor seco da grelha, em contrapartida, o colágeno se liquidifica na presença de calor e umidade. Motivo pelo qual as carnes de segunda dão ótimos ensopados. O grande teor de colágeno existe especificamente nestas carnes, pois elas provém de músculos pequenos que, reunidos em grupos, são importantes na função motora e dão sustentação às partes vitais do animal, ou seja, aquelas que mais se movimentam, como à cabeça, o tórax e o abdômen. Já as carnes de primeira provém normalmente de músculos grandes e individualizados, situados em regiões de pouco movimento, como o dorso, a pelve e a coxa, e em geral possuem um teor de colágeno bem menor.
Atualmente, o processo de manutenção, auxilia a derrubar esse mito, de primeira ou de segunda, afinal, não importa a categoria das carnes, sabendo de sua procedência e origem, todas oferecerão um maravilhoso churrasco.

5 - Maturação da Carne

A maturação é uma técnica de amaciamento das carnes totalmente natural, para tal, o alimento descansa de 21 a 30 dias a 0 º C embalada à vácuo para inibir a proliferação de bactérias. As próprias enzimas da carne a deixam macia e o melhor, não alteram em nada sua textura.
Com esse procedimento, mesmo carnes consideradas duras, como bisteca e alcatra, ficam tenras e deliciosas na grelha.

6 - Valor Nutricional

A carne é rica em proteínas de alta qualidade, minerais como ferro e zinco, ácidos graxos essenciais e vitaminas do complexo B ( tiamina, riboflavina, niacina, biotina, ácido pantotênico, folacina, vitaminas B6 e B12), portanto deve fazer parte da base de qualquer alimentação saudável, pois é um alimento que possui um reduzido teor de calorias em relação ao fornecimento de nutrientes que oferece.

Proteína - 51%

Zinco - 38%

Vitamina B12 - 37%

Selênio - 26%

Fósforo - 20%

Referência para 100 g de carne crua.

7 - Cuidados com a Higiene

A carne é um alimento extremamente rico em proteínas e normalmente é consumido fresca. Esse ambiente a torna propícia para a proliferação de microrganismos e bactérias. Logo, são necessários alguns cuidados especiais para manusear e conservar adequadamente a carne.
No que se refere à conservação, os meios mais utilizados são refrigeração e o congelamento, O primeiro método é adotado quando a carne será consumida em até 72 horas após a compra. Já com o congelamento. a carne permanece intacta por um período de tempo bem maior. Porém, mesmo no processo de descongelamento, é necessário manter a atenção para não contribuir para o risco de contaminação.
Para garantir a qualidade da carne do churrasco, é importante estar atento a alguns conselhos básicos de higiene que devem virar rotina em sua prática culinária. Lembre-se sempre das seguintes dicas que deverão tornar seu manuseio mais ágil e seguro.
Evite empilhar ou amassar a carne resfriada, isso pode danificá-la, coloque a carne em recipiente fundos, assim você evita que qualquer líquido que venha a escorrer dela danifique outros alimentos.
Resfrie a carne apenas depois de devidamente limpa, caso contrário, podem estragar mais rápido.

8 - Como Descongelar sua Carne

Uma das etapas principais, e a mais subestimada, durante a preparação da carne é o descongelamento. Se não for efetuado corretamente pode afetar o sabor e a textura da carne, prejudicando o churrasco. Se possível, deve ser feito com certa antecedência e bem lentamente.
O primeiro passo é retirar a carne do refrigerador e levar à geladeira, onde deve ficar aproximadamente 12 horas. Durante essa fase, a carne pode desprender líquidos, então fique atento, pois ele pode transformar-se em foco de contaminação, além de sujar a geladeira. Faça o descongelamento da carne em um recipiente fundo e descarte líquidos.
A regra básica para se ter uma carne bem conservada com manutenção do sabor e da suculência é congelamento rápido e descongelamento lento. Após ser descongelada, a carne deve ser consumida imediatamente. Caso se tenha pressa em descongelar, pode-se utilizar o forno micro-ondas, embora esse procedimento não seja o mais adequado, devido a possibilidade de alteração de sabor da carne.
Mantenha o aparelho em uma potência branda e vá aumentando gradativamente até conseguir descongelar o alimento por inteiro.
Evite, sempre que possível, descongelar carnes em temperatura ambiente ou por imersão em água, tais métodos facilitam a propagação de bactérias e perda de valores nutricionais.

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
A seguir várias soluções para seu negócio:
E-mail marketingValidação de e-mailsValidação de telefonesAtendimento via WhatsappDivulgação de produtosAnti-SPAMVárias ferramentas de marketing
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016