• Home  
  •   
  • Autom?vel  
  •   
  • Novas Fábricas Substituem o Trabalho Humano  

Novas Fábricas Substituem o Trabalho Humano

Publicado em 18 de Abril de 2019 às 10h

Robôs substituem o homem em fábricas automotivas, esse é o caminho das fábricas do futuro.

Novas tecnologias usadas pela indústria substituem o ser humano com precisão e repetitividade nos testes de campo e laboratório.

Rob�s substituem o homem em f�bricas automotivas

Tem robô capaz de abrir e fechar a porta milhares de vezes

As fábricas de automóveis foram as primeiras a empregar robôs de forma intensiva nas linhas de produção.

Isso foi em meados dos anos 70.

Por isso, quando se fala em robôs na indústria hoje em dia, logo vem à mente aqueles enormes braços usados para transportar, encaixar e soldar peças com movimentos sincronizados.

Atualmente, porém, as tarefas desempenhadas pelos robôs na indústria automobilística vão muito além das ligadas à produção.

Braço mecânico simula o senta e levanta e até o suor do motorista

Bra�o mec�nico simula o senta e levanta e at� o suor do motorista

Agora, os robôs participam também do desenvolvimento dos novos modelos.

Eles dirigem protótipos em avaliações de campo e realizam testes de qualidade dos mais diversos tipos.

O robô pode ainda girar o volante

O rob� pode ainda girar o volante

Aqui reunimos alguns exemplos.

Nas pistas de testes, os robôs substituem engenheiros e técnicos nos ensaios repetitivos, cansativos e arriscados, com precisão e de modo contínuo, em quaisquer condições climáticas, incluindo testes noturnos.

Nos laboratórios, eles reduzem o tempo de desenvolvimento ao acelerar testes de durabilidade, simulando situações que levariam anos em condições de uso real.

Piloto de aço

Piloto de a�o

A inglesa AB Dynamics oferece robôs capazes de controlar sistemas específicos como direção, pedais e câmbio.

Eles podem funcionar em conjunto, assumindo inteiramente o veículo e cumprindo rotinas predefinidas pelas engenharias.

O controlador da direção é capaz de realizar medições de:

  • comportamento dinâmico,
  • ângulos de esterço e contraesterço
  • durabilidade do sistema, entre outros.

Acionando os pedais do carro

O de pedais pode registrar forças aplicadas, deslocamento dos pedais, pressão nas linhas de freios e a aceleração e a desaceleração do veículo.

O de câmbio participa das avaliações de desempenho, reações e tempos de respostas.

Suando a camisa

Há vários tipos de robôs para testar a durabilidade dos bancos.

A alemã Kübrich dispõe de um robô que testa os movimentos dos ajustes (longitudinais e verticais) do assento, da inclinação do encosto, bem como os esforços laterais aplicados pelo peso dos ocupantes.

Outros movem o câmbio para trocar as marchas

Outros movem o c�mbio para trocar as marchas

A também alemã Kuka tem um robô que avalia a durabilidade da espuma e dos revestimentos simulando movimentos de senta e levanta dos ocupantes e aplicando peso e provocando atrito.

Batizado de Robutt, esse robô tem ainda uma especificidade desenvolvida pela Ford, que é a reprodução de transpiração (com a aplicação de vapor de água aquecido), como se o usuário acabasse de vir de uma corrida no parque ou da academia.

Abre e fecha sem parar

Abre e fecha sem parar

Dotados de central eletrônica, robôs de diferentes marcas utilizam atuadores, sensores e braços mecânicos para testes de durabilidade de uma grande variedade de componentes.

Geralmente fazem trabalhos repetitivos.

Fonte: DIÁRIO DE MOTORISTA 

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
A seguir várias soluções para seu negócio:
E-mail marketingValidação de e-mailsValidação de telefonesAtendimento via WhatsappDivulgação de produtosAnti-SPAMVárias ferramentas de marketing
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016