Depressão e Ansiedade

Publicado em 12 de Novembro de 2017 às 20h

Nem sempre estamos numa boa afinal problemas todos tem, então resolvemos fazer um post de utilidade pública e ajudar os casais com problemas de Depressão e Ansiedade.

Eu sei – por experiência própria – que os distúrbios de ansiedade trazem um prejuízo enorme, assim como a Depressão. Diante das últimas perdas por suicídio – Fausto Fanti e Robin Willians – resolvi aproveitar o assunto em pauta para alertar quem acredita estar sofrendo desse mal.

Depressão e Ansiedade tem sintomas em comum e você pode ter ambos os problemas. Primeiro é bom deixar claro que a ansiedade é um sentimento normal que causa desconforto ou apreensão frente a um perigo real ou imaginário, quando vamos falar em público ou quando estamos esperando algo importante, etc. Quando a ansiedade é constante, traz sofrimento e controla nossa vida é patológico, com medos exagerados, sensação de que algo ruim vai acontecer, falta de controle sobre seus pensamentos, fixação em seus problemas, insônia e por ai vai. Sem contar as sensações físicas, dores de estômago, aperto no tórax, palpitação, inquietação, sudorese, etc.

Pois é, é um problema sério e se você ou seu parceiro(a) estiverem com alguns desses sintomas vale a pena investigar com um psiquiatra/ psicólogo. Observem seus comportamentos, medo exagerado de falar em público pode caracterizar ansiedade social. Insegurança demais, com pensamentos do tipo “E se acontecer tal coisa, e se estiverem pensando mal de mim…” e preocupação excessiva a ponto de deixar obcecado, tensão muscular, incluindo bruxismo, problemas para dormir, perfeccionismo, medos irracionais, pânico e comportamentos compulsivos. Esse último pode ser tanto mental quanto físico, de roer unhas até problemas com drogas, TOC ou compulsão sexual.

Já dizia o dramaturgo e jornalista irlandês Bernard Shaw: “A ansiedade e o medo envenenam o corpo e o espírito”. 

Já na Depressão também devemos ficar atentos para o que é tristeza e o que é a doença. É inevitável ficarmos tristes mas no caso da depressão a pessoa fica triste o tempo todo e de forma severa, sem forças, com raiva e desespero constante fazendo as energias ficarem muito baixas e o resultado é parecido com o da ansiedade exagerada: falta de vontade fazer tarefas diárias e perda total do interesse em tudo o que antes sentia prazer em fazer.

Fique atento também em outros sintomas como sentimento de desesperança, desamparo, choro frequente, inquietação e agitação, cansaço exagerado, perda de interesse em atividades, dificuldade de concentração, dificuldade para dormir ou dormir demais, falta de apetite ou comer compulsivamente, dores persistentes que não melhoram com tratamento – dores de cabeça, cólicas ou problemas digestivos – e pensamentos suicidas.

Como eu disse no começo do texto, é possível ser ansioso e deprimido o que agravam os sintomas de ambas as doenças e quando a depressão e a ansiedade agem em conjunto, a taxa de suicídio fica muito mais elevada do que quando a depressão age sozinha.

Alerto mais uma vez, se perceber algo vá ao psiquiatra ou psicólogo, eu sou muito a favor da psicoterapia e acho que todo mundo deveria fazer, rs. A psicoterapia é um recurso para ajudá-lo a entender melhor a si mesmo, às pessoas ao seu redor e aos seus problemas e pode auxiliá-lo a encontrar maneiras de enfrentar as dificuldades e melhorar sua situação. Já fiz psicanálise e no meu caso não ajudou muito, Atualmente estou fazendo terapia cognitiva e estou gostando bastante mas cabe a um médico fazer uma avaliação e receitar o melhor tratamento.

Acredito que o pior de tudo isso seja a falta de informação e compreensão de parentes e amigos que não percebem a gravidade da situação e acabam sendo negligentes, o que contribui para piorar o quadro. Para mim, conversar é tudo mas nem sempre podemos nos abrir com alguém e ainda ouvimos que é tudo frescura ou que é uma fase ou até mesmo que queremos apenas chamar a atenção. Se esse for o caso tente mostrar esse artigo para seu parceiro(a), amigos ou parentes e esteja disposto a se tratar. Outras coisas que ajudam são: Estabeleça uma rotina, pratique exercícios físicos, tenha uma alimentação saudável, assuma responsabilidades e desafie pensamentos negativos. Isso mesmo, use a lógica e procure evidências, você pode se sentir como se ninguém gostasse de você, mas existe alguma evidência real para achar isso?

Depois de ler tudo isso, se você está ou conhece ou alguém com o problema não espere, quanto mais demorar maiores serão os transtornos e mais difícil será o tratamento.

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016