Origem e história do Vinho do Porto

Publicado em 3 de Abril de 2019 às 08h

História do Vinho do Porto

Vinho do Porto

O Vinho do Porto é um vinho natural e fortificado, produzido exclusivamente a partir de uvas provenientes da Região Demarcada do Douro, no Norte de Portugal a cerca de 100 km a leste da cidade do Porto.

Régua e Pinhão são os principais centros de produção, mas algumas das melhores vinhas ficam na zona mais a leste.

Santa Marta de Penaguião é o concelho com maior produção de vinho do Porto a nível nacional.

Apesar de produzida com uvas do Douro e armazenada nas caves de Vila Nova de Gaia, esta bebida alcoólica ficou conhecida como “vinho do Porto” a partir da segunda metade do século XVII por ser exportada para todo o mundo a partir desta cidade.

Vila Nova de Gaia é o local com maior concentração de álcool por metro quadrado do mundo.

A “descoberta” do vinho do Porto é polêmica

Uma das versões, defendida pelos produtores da Inglaterra, refere que a origem data do século XVII, quando os mercadores britânicos adicionaram brandy ao vinho da região do Douro para evitar que ele azedasse.

Mas o processo que caracteriza sua obtenção talvez já fosse conhecido bem antes do início do comércio com os ingleses.

Já na época dos Descobrimentos o vinho era armazenado desta forma para se conservar um máximo de tempo durante as viagens.

A diferença fundamental reside na zona de produção e nas castas utilizadas, hoje protegidas.

A empresa Croft foi das primeiras a exportar vinho do Porto, seguida por outras empresas inglesas e escocesas.

O que torna o vinho do Porto diferente dos restantes vinhos, além do clima único, é o facto de a fermentação do vinho não ser completa, sendo parada numa fase inicial (dois ou três dias depois do início), através da adição de uma aguardente vínica neutra (com cerca de 77º de álcool).

Assim o vinho do Porto é um vinho naturalmente doce (visto o açúcar natural das uvas não se transforma completamente em álcool) e mais forte do que os restantes vinhos (entre 19 e 22º de álcool).

Fundamentalmente consideram-se três tipos de vinhos do Porto:

  • Branco,
  • Ruby
  • Tawny.

Características e Curiosidades

Caracter?sticas e Curiosidades

O Vinho do Porto é uma das bebidas mais tradicionais e conhecidas de Portugal.

Esse vinho tem como característica o alto teor alcoólico e o sabor muito adocicado.

Tanta tradição fez com que a região dos vinhedos do Rio Douro fosse considerada Patrimônio da Humanidade pela ONU.

Mas você sabia que na verdade o Vinho do Porto, apesar do nome, não é feito no Porto?

RUBY

Vinho tinto envelhecido em tonéis de madeira de carvalho.

Seu envelhecimento é curto (entre dois e três anos) e apresenta coloração mais escura e sabores frutados, que remetem a frutas vermelhas.

TAWNY

Vinho tinto que envelhece de dois a três anos em balseiros, depois é transportado para pipas de 550 litros.

Esse processo permite um contato maior com a madeira e com o ar, aumentando a sua oxidação.

Isso dá ao vinho uma coloração mais âmbar, aroma amadeirado e sabor de frutas secas.

Quanto mais velho for um tawny, mais complexo fica seu sabor.

BRANCO

Feito com uvas brancas selecionadas e envelhecidos em tonéis de madeira por dois ou três anos, podendo ser doce ( também conhecido como lágrima) ou mais seco.

O Marquês de Pombal entra em cena

A sede da Companha Geral em 1910

A sede da Companha Geral em 1910

No início do século XVIII, o Vinho do Porto era um sucesso, com sua produção – e exportação – alcançando um crescimento incrível.

Tal sucesso atraiu o interesse de comerciantes e produtores mal intencionados que muitas vezes se valiam de processos fraudulentos para produzir um vinho de qualidade inferior e vendê-lo como um Porto autêntico.

Assim, para corrigir esses problemas, em 1756 o Marquês de Pombal, na qualidade de Ministro de Estado de Portugal, ordenou o controle da produção do Vinho do Porto pelo governo português através da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, uma empresa estatal que detinha o monopólio da produção.

Dessa forma o autêntico Vinho do Porto só podia ser produzido dentro da região vinhateira demarcada pelo Marquês.

Tudo seguindo rigorosas regras de produção e qualidade.

Embora impopulares na época, as medidas criadas pelo Marquês foram as responsáveis pela preservação das características e renome do Vinho do Porto.

As Caves de Vila Nova de Gaia

As Caves de Vila Nova de Gaia

As Caves de Vila Nova de Gaia

Atravessando a ponte Luís I, chega-se em Vila Nova de Gaia.

Local onde estão instaladas muitas caves de Vinho do Porto, a maioria delas aberta a visitas.

Calem é uma das caves mais antigas e famosas.

Entrada da Calem, uma das caves mais importantes do Porto.

As visitas acontecem diariamente e são feitas em vários idiomas.

A visita dura aproximadamente uma hora e meia, com o guia explicando detalhadamente a história do Vinho do Porto e suas características, a história da Calem e como o vinho é armazenado, etc.

O passeio abrange diversas dependências da cave.

É possível observar de perto os grandes tonéis de madeira utilizados para armazenamento do vinho.

Ao final da visita é feita uma degustação com dois tipos diferentes de Porto e por fim a loja da Calem.

Local onde o visitante pode adquirir seu vinho (acredite, você vai querer comprar).

CALEM

CALEM

Av. Diogo Leite, 344, Vila Nova de Gaia.

Para saber os horários, preços e tipos de visitas, consulte o Site Oficial.

FONTE: CLASSIFICADOS PORTUGAL

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
A seguir várias soluções para seu negócio:
E-mail marketingValidação de e-mailsValidação de telefonesAtendimento via WhatsappDivulgação de produtosAnti-SPAMVárias ferramentas de marketing
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016