Primeiro Scania no Brasil

Publicado em 10 de Março de 2019 às 09h

Scania L 75, Este modelo, que foi vendido entre 1959 e 1963, ficou conhecido como o ‘’Rei das estradas’’.

O apaixonante modelo L 75, foi o primeiro caminhão Scania fabricado aqui no Brasil, em 1959.

Scania L 75

Nas configurações cavalo mecânico e chassis rígido.

O caminhão era produzido na linha de montagem da Vemag, que importava veículos Scania-Vabis desde 1951 (A Vemag, a mesma que produzia os DKW´s, com seus motores dois tempos que tinham ronco esportivo, mas fumaceavam bastante por conta da configuração do motor).

O motor do L 75 era importado da Suécia e apenas 35% das peças eram produzidas aqui no Brasil.

Mas em 1960, com a fábrica de motores instalada na capital São Paulo, a Scania-Vabis assumiu a produção completa (motor nacional + montagem Vemag).

Scania Vemag 1960

Dois anos mais tarde, foi inaugurada a fábrica da Scania-Vabis na cidade de São Bernardo do Campo, e ficou conhecida como “Detroit brasileira”, onde está instalada até hoje e assumiu a totalidade do processo de produção do caminhão.

Estão em São Bernardo as fábricas da Scania, Mercedes-Benz e Ford Caminhões até hoje.

O motor deste caminhão é o D-10, com 165CV de potência.

Chegou em um momento onde os FNMs, com seus D-11000 tinham forte presença no país.

Na época a Scania comunicava que o caminhão chegava a 400.000 kms, o que para a época, era bastante coisa.

SCANIA VABIS

O grande diferencial do motor era o uso da tecnologia de injeção direta – até 25% mais econômicos em comparação ao motor com pré-câmara de combustão (lembra da batida clássica do moor do FNM?

É resultado da pré-câmara de combustão) – veja na foto abaixo como era a cabeça do pistão do D-11000:

Pit�o FNM

Os primeiros L 75 saíram da linha de montagem na cor cinza-claro.

A partir de agosto de 1960, o modelo passou a ser oferecido na cor azul também.

Isso porque, na época, oferecer muitas cores para o determinado modelo era muito complexo para a produção de cabines.

O Laranja só passou a ser oferecido à partir de 1963, ano no qual chegou seu substituto, no segundo semestre, o L 76 com seu motor 11 litros.

FICHA TÉCNICA:

Cavalo Mecânico L-75 4×2
Motor: D-10 6 cilindros, com 165 hp a 2.200 rpm, e torque máximo de 63 kgfm a 1.200 rpm
Cilindrada: 10.3 litros
Caixa de mudanças: G660, sincronizada da 2ª até a 5ª marchas.
Caixa de mudanças auxiliar com reduções de 1:1 e 1,4:1, sincronizada.
Direção: 6,5 voltas, de batente a batente
Rodas raiadas de 22”, com pneus 11.00×22”
Tanque de combustível de 130 litros
Pesos e capacidades:
Peso do caminhão: 5.095 kgs
Peso Bruto Total Combinado: 35.000 kgs
(Capacidade de carga + semirreboque de 29.905 kgs)

Scania L76

Lançado no segundo semestre de 1963, o modelo é o sucessor do L 75.

Com melhorias técnicas, o caminhão é ainda mais potente: o motor D-11 proporciona a potência de 195 hp a 2.200 rpm.

Características técnicas L 76

Motor Diesel (D-11) de injeção direta, com potência de 195 hp a 2.200 rpm
Torque de 76 kgm a 1.200 rpm
Cilindragem 11 litros
Diâmetro do cilindro: 127 mm
Curso do pistão: 145 mm

Scania L 76

Scania L 76

Mas isso não bastava. Era preciso também introduzir alterações para atender às peculiaridades no mercado brasileiro.

Por isso, em 1964, a Scania introduziu diversas modificações no modelo L, de maneira a buscar um caminhão ainda mais resistente, com mais durabilidade e melhor adaptado às condições brasileiras.

Assim, foi apresentado o caminhão tipo LS, com dois eixos traseiros: um o motriz (de tração) e outro o eixo morto (de apoio), com capacidade para 15 toneladas.

O LS era fabricado nos modelos LS 7638 (caminhão trator) e LS 7650 (caminhão rígido).

Um outro modelo, chamado LT, tinha os dois eixos traseiros motrizes.

A capacidade do LT era a mesma do LS, mas podia também ser usado para serviço fora de estrada.

Para aumentar a capacidade de carga e aplicações severas, a Scania lançou os modelos LS e LT, com dois eixos traseiros.

Em 1968, a Scania trouxe outra novidade: o motor D-11 Super Alimentado, com potência de até 285 hp, até então o mais potente do mercado.

Com ele, era possível ter maior velocidade média, 42% a mais de torque e economia de combustível de cerca de 6%.

Características L, LS e LT 76 Super

Motor DS-11 (Scania Super Alimentado – maior velocidade média)
Número de cilindros: 6
Diâmetro de cilindro: 127 mm
Curso dos pistões: 145 mm
Potência: 275 hp a 2.200 rpm (DIN)
285 hp a 2.200 rpm (SAE)
Torque máximo: 108 kgm a 1.500 rpm (DIN)
109 kgm a 1.500 rpm (SAE)

Em 1971, os caminhões Scania sofrem uma importante modificação no sistema de freios, que passam a ser em duplo circuito.

É introduzido também o freio de estacionamento, que só existia nos chassis dos ônibus.

Por conta dessas modificações, a denominação do modelo é alterado de L/ LS/ LT 76 para L/ LS/ LT 110.

Scania LS

Scania L111

Lançada em 1976, a série foi aperfeiçoada para melhorar ainda mais o consumo de combustível e a vida útil do motor, tudo isso aliado a mais potência, de 203 cv.

O modelo estava disponível em três versões: LS, com dois eixos traseiros, sendo um motriz e outro de apoio, LT, com dois eixos traseiros motrizes, e L, na versão 4×2.

No Brasil, o modelo L 111 conquistou os caminhoneiros.

As 9.745 unidades vendidas no País de 1976 a 1981 corresponderam a, praticamente, um terço do total vendido em todos os outros mercados da Scania.

O L 111 também respondeu por 57% do total de veículos Scania vendidos no mercado brasileiro durante os seis anos em que foi fabricado.

Scania L 111

Scania L 111

Ainda hoje, caminhões L 111 na cor laranja circulam pelo País em excelente estado de conservação, atestando a durabilidade do produto e os cuidados especiais que transportadores e caminhoneiros dedicam a esses veículos.

Os valentes “Jacarés” são encontrados principalmente em regiões portuárias e nos Estados da região Sul.

O L111 é considerado um caminhão de fácil manutenção, porque a parte mecânica apresenta um funcionamento simples, mesmo porque naquela época não havia inovações tecnológicas como sistemas eletrônicos.

A Rede Scania está preparada para realizar a manutenção e reparos do modelo, contando com um sortimento de peças exclusivas com aproximadamente 500 itens exclusivos para o L 111.

Características técnicas L 111

Motor: D-11 03
Potência: 203 cavalos
Torque: 760 Nm
Relação diferencial: 4.71:1
C.M.T. (capacidade máx. de tração): 45 t
Velocidade máxima: 94 km/h
Capacidade eixo dianteiro: 6.000 kg
Capacidade eixo traseiro: 11.000 kg

Scania L 111

Scania L 111 interior

 

História da Scania no Brasil

Fonte: Diário de Motorista

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016