• Home  
  •   
  • Notícias  
  •   
  • Pesquisadores encontram novo órgão no corpo humano "por acidente".Confira!  

Pesquisadores encontram novo órgão no corpo humano "por acidente".Confira!

Publicado em 29 de Março de 2018 às 13h

Novo órgão?

Pesquisadores da divisão de doenças digestivas do Mount Sinai Medical Center, em Nova York, nos Estados Unidos, encontraram um novo órgão do corpo humano. A descoberta só foi possível porque eles utilizaram um novo equipamento, uma nova versão do endoscópio, mangueira com uma câmera n a ponta que permite analisar o sistema digestivo.

O instrumento, segundo os médicos, é diferente porque permite analisar as estruturas e tecidos humanos em nível intracelular. Com ele, eles conseguiram analisar um canal biliar e conseguiram perceber uma estrutura com cavidades que nunca haviam sido analisadas.

Ao observar melhor as estruturas, os cientistas perceberam que havia um erro na forma como até então era feita a análise do corpo. Sem a tecnologia para analisar um tecido vivo, os pesquisadores costumavam observar o tecido removido, e em grande parte das vezes desidratado. O processo de retirada drenava o líquido e fazia com que as cavidades desaparecessem.

“Muitas vezes víamos pequenas ‘rachaduras’ na amostra. Eu fui ensinado e, por sua vez, ensinei a muitos dos meus alunos que essas rachaduras eram devido ao processamento da amostra. Nós tínhamos puxado o tecido com muita força e as separações haviam se formado. Eram os remanescentes dos espaços em colapso. Eles estavam lá o tempo todo. Mas foi só quando pudemos ver tecidos vivos que nos demos conta disso”, explica Neil Theise, professor em patologia e um dos responsáveis pela pesquisa.

Para ele, a definição de órgão é imprecisa, mas “geralmente implica que existe uma unidade e singularidade de estrutura ou de função”, detalha. “Esse espaço tem propriedades e estruturas únicas, que não são vistas em outros lugares, e funções altamente específicas e dependentes das estruturas exclusivas e dos tipos de células que o formam”, pontua.

Novas descobertas

Conhecido como fluido intersticial, ele compõe 20% do líquido do corpo. “Essa camada circunda as partes do corpo que se move, como a pele ou o pulmão. Nós nunca nos perguntamos como uma densa camada de tecido conjuntivo sobrevivem a tanto estresse sem se romper? Agora nós sabemos: não são tecidos conectivos densos, eles são distensíveis e compressíveis espaços cheios de fluido”, explica o professor.

Segundo ele, isso pode ajudar a explicar como o câncer se espalha pelo corpo.

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
A seguir várias soluções para seu negócio:
E-mail marketingValidação de e-mailsValidação de telefonesAtendimento via WhatsappDivulgação de produtosAnti-SPAMVárias ferramentas de marketing
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016