• Home  
  •   
  • Saúde e beleza  
  •   
  • O que é supositório (de glicerina), adulto e infantil, como colocar?  

O que é supositório (de glicerina), adulto e infantil, como colocar?

Publicado em 5 de Janeiro de 2018 às 12h

Todo mundo já ouviu uma vez ou outra a palavra “supositório”. Algumas pessoas não estão nem aí para o significado disso, enquanto outras morrem de medo, ou ficam constrangidas só de pensar em precisar usar. No entanto, o que de fato é um supositório? Para que ele serve? Será que ele traz alguma complicação?

Tenha essas e outras dúvidas respondidas aqui no Minuto Saudável!

O que é supositório?
Ao falarmos de supositórios, estamos nos referindo a um medicamento farmacêutico com formato cônico ou cilíndrico. O supositório é introduzido nos orifícios do corpo, como uretra, vagina ou ânus, sendo estes os três tipos existentes. Uma vez inserido, ele começa a amolecer e liberar a substância medicamentosa que está em seu interior.

Pra que serve o supositório?
O supositório serve para diversos tratamentos, sendo sua ação motivada pela substância contida. Os mais comuns são: supositório anal de glicerina, que serve principalmente para prisão de ventre, o uretral, indicado para disfunção erétil e o vaginal para diversos tratamentos, em especial para condições vaginais.

As substâncias contidas podem exercer efeitos sistêmicos (geral) ou localizados. Os de efeito geral aliviam desde uma enxaqueca até uma alergia, enquanto os localizados podem causar uma ereção prolongada, como nos casos do supositório uretral, e até tratar uma infecção, como os vaginais.

O supositório de glicerina é indicado para pessoas em tratamento ou em prevenção da constipação intestinal (prisão de ventre), que podem levar a gases, dores abdominais e inchaço na barriga.

Ele também é prescrito para quem irá passar por uma colonoscopia e pode ser útil para facilitar as evacuações em caso de hemorroida inflamada.

Vantagens das ações sistêmicas
Quando os supositórios possuem efeitos sistêmicos, com administração via retal, as principais vantagens são:

Impede a destruição ou a desativação dos fármacos pelo pH ou atividade enzimática do estômago e dos intestinos;
Evita a irritação estomacal;
É conveniente para adultos e crianças que não conseguem engolir medicamentos oralmente;
Evita a metabolização hepática;
Eficaz em pacientes que apresentam o sintoma de vômito.
Exemplos de supositórios indicados para produzir ação sistêmica são:

Proclorperazina e clorpromazina (possui ação tranquilizante e alivia náuseas e vômitos);
Cloridrato de oximorfona (anula a dor);
Tártaro de ergotamina (alivia enxaquecas e cefaleia);
Indometacina (função analgesica, antiinflamatória e antipirético não esteróidal).
Índice — Neste artigo você encontrará as seguintes informações:
O que é?
Pra que serve o supositório?
Tipos de supositório
Composição do supositório
Como usar o supositório
Fatores que influenciam a absorção dos componentes do supositório
Complicações
Contraindicações
Perguntas frequentes sobre o supositório de glicerina
Tipos de supositório
Existem 3 tipos de supositórios em si: retal, vaginal e uretral. No interior destes três tipos pode haver diversas soluções medicamentosas. O mais popular é o supositório anal de glicerina.

Supositório anal de glicerina
O supositório de glicerina é um medicamento composto por laxantes. Ele é feito para esvaziar o intestino em casos de gases ou fezes presas, podendo ser administrado em adultos e crianças, inclusive bebês, segundo a recomendação do médico.

Supositório vaginal
Já o supositório vaginal é indicado para uma condição vaginal, como uma infecção fúngica, ou para qualquer outro tratamento que seja inviabilizado a inserção medicamentosa por outras vias (oral, retal), como tratamentos hormonais, secura vaginal ou controle de natalidade.

Supositório uretral
Por último, mas não menos importante, temos o supositório uretral. Este tipo é comumente utilizado em casos de disfunção erétil (dificuldade em manter a ereção por tempo o suficiente para uma relação sexual).

Composição do supositório
A composição dos supositórios varia de acordo com seu tipo, função e fabricante.

No entanto, a maioria dos supositórios com a função anti-hemorróidas possuem componentes emolientes (hidratantes à base de água e óleo), calmantes, protetores, anestésicos locais, vasoconstritores (substância que induz a contração dos vasos sanguíneos), adstringentes (composto que reage com as proteínas e contrai os tecidos, combatendo diversas moléstias inflamatórias) e analgésicos.

Como o próprio nome diz, o supositório de glicerina é à base de glicerina. Tal substância é muito utilizada na indústria farmacêutica por possuir ação umectante, ou seja, ele umedece e dilui as fezes.

Existem ainda os supositórios de mesalazina, que contém ação anti-inflamatória atuante no intestino, e o vaginal com progesterona, que possui o objetivo de aumentar as chances da mulher engravidar.

Como usar o supositório
Por mais instintivo que possa parecer, é sempre importante saber a maneira correta de se utilizar o supositório. Se ele estiver muito macio, tome cuidado, pois ele está derretendo antes de ser inserido.

Se for o caso, coloque-o na geladeira por 30 minutos ou escorra água fria por cima antes de abrir a embalagem de alumínio. Isso ajudará o deixado mais frio e consequentemente mais duro, o que facilita na sua colocação.

Conheça abaixo a maneira mais indicada de inserção para cada grupo:

Supositório anal em adultos
Nos casos de intestino preso, para que o supositório tenha o efeito desejado, é preciso que a pessoa adulta beba no mínimo 6 copos de água durante o dia, pois isso ajuda a amolecer as fezes.

Antes de introduzir o supositório, é adequado lavar bem as mãos, para que nenhuma bactéria entre em contato com a região íntima.

Deve-se abrir a embalagem, molhar o supositório com água limpa e depois introduzi-lo, empurrando com os dedos. Depois da introdução, deve-se contrair os músculos da região anal, para assim manter o dispositivo no local.

O produto leva de de 15 a 30 minutos para iniciar o seu efeito.

Supositório anal em bebês e crianças
Para introduzir o supositório no bebê, este deve estar de barriga para cima. Levante as pernas da criança e introduza o supositório em seu ânus, lembrando-se de inserir pela parte mais estreita do supositório.

Diferentemente dos adultos, não é necessária a completa introdução, sendo que os pais podem inserir apenas metade do produto e ficar segurando por alguns minutos, pois em breve este pequeno estímulo já será suficiente para criança eliminar as fezes.

O limite da dose é um por dia, durante o tempo receitado pelo médico pediatra.

Supositório vaginal
Para mulheres que já tenham usado absorvente interno ou coletor menstrual, pode ser que o processo seja bastante intuitivo. No entanto, é recomendável seguir as instruções do médico ou do manual do fabricante à risca. Se mesmo assim você não sabe o que fazer, siga as etapas abaixo:

Primeira etapa
O primeiro passo sempre é a higienização. Após lavar e secar as mãos, limpe as áreas externas e as regiões ao redor da vagina com um sabonete íntimo neutro. Não lave o interior da vagina.

Enxágue bem toda a região vaginal para certificar-se que todo o sabão foi retirado. Seque bem a região com uma toalha de algodão limpa e não esfregue, dê apenas leves batidas.

Segunda etapa
Depois que as mãos e a vagina se encontram prontas, prepare o supositório. Retire o aplicador da embalagem para descobrir se ele já está com o supositório inserido ou não. Se ele estiver vazio, carregue-o.

A maioria dos aplicadores de supositório possuem marcadores de quantidade. Isso é de extrema utilidade na hora de inserir o creme supositório no aplicador, pois evita que a mulher erre na dose.

Para encher o aplicador. é necessário conectar o tubo do creme ao aplicar, encaixando-o com firmeza. Pressione o tubo até que a dose correta esteja no aplicador.

Depois disso, guarde o creme em local seco e arejado, pois se trata de uma material que derrete quando entra em contato com temperaturas elevadas. Caso more em locais quentes, guarde-o na geladeira.

Terceira etapa
Com a higienização e o supositório prontos, é a hora de posicionar-se. Fique em pé, com as pernas abertas e os joelhos espaçados. Se preferir, alie isso a apoiar um dos pés em um pequeno banco, no vaso sanitário ou em uma banheira.

Também é possível deitar-se de costas e ficar com os joelhos para cima e as pernas abertas.

Qualquer uma destas posições permitem o fácil acesso a abertura vaginal e são ideais para a inserção do supositório.

Quarta etapa
Utilize a mão com que você possui mais destreza (direita para destros e esquerda para canhotos) para introduzir o supositório na vagina com mais precisão. A outra mão deve ser responsável por abrir os lábios da vulva.
 
Por ser um método invasivo, é comum ficar tensa, com isso os músculos ficam ainda mais resistentes à invasão. No entanto, é necessário que a mulher tente relaxar o máximo possível, para conseguir inserir tranquilamente o supositório.

É necessário inserir o aplicador empurrando o máximo possível, assim o medicamento entrará profundamente na vagina.

Quando o aplicador estiver com pelo menos metade para fora, pressione o êmbolo até que todo o medicamento seja administrado.

Quinta etapa
Depois que tiver certeza que inseriu todo o medicamento, retire o aplicador e o lave bem, com água corrente e sabonete neutro, se ele for reutilizável. Caso contrário, descarte-o.

Lave bem as mãos e as seque. Depois de inserido, o supositório pode precisar de até uma hora para se dissolver completamente, então não é incomum que ocorram pequenos vazamentos.

No entanto, em hipótese alguma deve ser inserido um absorvente interno, pois ele absorverá o medicamento que deveria estar atuando no organismo.

Boas dicas são utilizar o supositório apenas durante a noite, caso o médico não tenha especificado o horário. Utilizar absorventes externos pode ser uma boa medida de precaução para os possíveis vazamentos.

Supositório uretral
Antes de inserir o supositório, é necessário urinar. Como sempre, é imprescindível a correta higienização das mãos. Após, basta seguir estas etapas:

Primeira etapa
Alongue o pênis desde sua base até o fim de sua extensão. Insira a cânula (pequeno tubo) do aplicador dentro da uretra (abertura localizada na ponta do pênis) suavemente. Em caso de dor, pare e recomece o processo.

Segunda etapa
Pressione o botão lentamente para liberar o supositório, mantendo o aplicador dentro do pênis por 5 segundos. Depois, mova suavemente o aplicador para trás e retire do pênis enquanto ele ainda estiver elevado.

Certifique-se que todo medicamento  já passou. Caso reste algo no aplicador, repita o procedimento.

Terceira etapa
Massageie o pênis, como em uma leve masturbação, por 10 segundos, pois isso ajuda o medicamento a ser dissolvido. Alguns indivíduos acham conveniente sentar, ficar em pé ou até mesmo caminhar por 10 minutos, com o pênis ereto.

Este medicamento começa a agir cerca de 5 a 10 minutos após sua inserção, sendo possível ter relações de 10 a 30 minutos após o uso do medicamento. Lembre-se de sempre utilizar preservativo durante as relações sexuais.

Fatores que influenciam a absorção dos componentes do supositório
Os supositórios são envoltos por uma camada de gelatina, glicerina ou manteiga de cacau. Quando inseridos no corpo, o calor do organismo dissolve essa proteção e então os componentes internos são absorvidos.

Contudo, existem alguns fatores que podem influenciar na absorção destes fármacos. São eles:

Fisiológicos
Quando o reto está sem a matéria fecal, ele contém apenas 2 ou 3 mL de líquido em seu interior.

Apesar de não possuir microvilosidades (filamentos responsáveis pela absorção, secreção e adesão celular), o reto é altamente vascularizado, tanto com vasos sanguíneos quanto linfáticos.

Assim, a absorção dos componentes do supositório se dá de maneira rápida, pois alcança a circulação facilmente.

Tamanho do produto
Quanto menor o supositório, mais rápido ele será absorvido pelo organismo.

Água e gordura
Um fármaco à base de gordura possui mais resistência para se dissolver nos líquidos circundantes do que um fármaco que já é à base de água.

Via circulatória
Quando um medicamento é introduzido no organismo por via oral, ele passa pelo fígado, que metaboliza parte de droga e diminui sua eficácia. Já quando o fármaco é administrado por via retal, esta etapa é evitada, fazendo com que sua eficácia seja maior quando comparada a via oral.

Conteúdo dos cólons
Para uma rápida absorção, o reto deve estar vazio pois, quando possui matéria fecal, ele se distende, fazendo com que o supositório não fique próximo o suficiente das paredes retais para uma rápida absorção.

Complicações
Como existe mais de um tipo de supositório, as complicações variam de um para o outro. Confira abaixo:


Supositório vaginal
No supositório de inserção vaginal, a mulher pode vir a sentir:

Desconforto vaginal;
Ressecamento;
Sensação de coceira;
Possível ardência;
Corrimentos escorrendo da vagina, conforme o medicamento se dissolve.
Em casos onde a mulheres desenvolva uma reação alérgica, os principais sintomas são:

Inchaço;
Coceira;
Urticária;
Compressão no peito;
Supositórios de glicerina
Já com o supositório de glicerina, as reações que podem surgir são:

Cólica intestinal;
Diarréia;
Sede excessiva;
Flatulência;
Leve irritação local.
Supositório uretral
Com o supositório uretral, existem dois grupos de complicações:

Raras
Curvatura do pênis com dor durante a ereção;
Ereção contínua de 4 a 6 horas;
Testículos doloridos;
Inchaço nos testículos;
Dor no abdômen ou na pélvis;
Tonturas;
Sensação de desmaio;
Sintomas de gripe (febre, calafrios, dor de cabeça e dores no corpo).
Comuns
Dor;
Sangramento ou leve mancha na uretra (durante a ereção);
Queimação na uretra;
Excitação desmedida.
Contraindicações
Os supositórios são contra indicados para pacientes com:

Apendicite;
Hemorragia retal com causa não identificada;
Obstrução intestinal;
Pacientes no pós operatório da área retal;
Alérgicos a glicerina (no caso do supositório ser de glicerina);
Indivíduos desidratados;
Insuficientes renais;
Insuficientes cardíacos.
Avise seu médico se você:
 
Possui batimentos cardíacos irregulares;
Fez alguma cirurgia reta recentemente e questione se isso não influenciará no processo de cicatrização;
Passou por um cirurgia de próstata recentemente ou por algum tratamento de irradiação no canal vaginal.
Perguntas frequentes sobre o supositório de glicerina

A utilização de supositórios gera alguns constrangimentos e muitas dúvidas sobre o tema. Conheça abaixo as dúvidas mais comuns:

O supositório de glicerina faz mal?
Não. Ele pode vir a desencadear algumas reações, mas quando prescrito pelo médico, ele dificilmente trará algum malefício.

Grávida pode usar supositório?
Sim, quando prescrito pelo médico. Independente da maneira que é administrado, o supositório não deixa de ser um medicamento e como tal só deve ser usado quando prescrito pelo médico.

Supositório de glicerina pode ser usado em bebês?
Sim, ele pode. A versão que os pediatras indicam para ser utilizada em bebês é mais fina e comprida que a versão para adultos, pois sua anatomia é feita exclusivamente pensando nos pequenos.

Leva quanto tempo para o supositório fazer efeito?
Depende. O tempo de ação varia conforme a composição dos supositórios, mas a maioria leva de 15 a 60 minutos.

Dói colocar o supositório?
É relativo. Algumas pessoas não relatam qualquer incômodo na hora de inserir o supositório, enquanto outras reclamam de uma leve dor.

Não se deve utilizar lubrificantes para facilitar a inserção, pois eles podem alterar o pH da região íntima e causar alguma reação química junto ao medicamento.

O uso do supositório pode ser algo incômodo para muitas pessoas. No entanto, sempre que o médico indicar sua aplicação, é preciso seguir corretamente as maneiras de uso.

Se você conhece alguém que está com dúvidas sobre o tema, compartilhe este texto!

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016