Como perder o medo de falar em público?

Publicado em 7 de Abril de 2018 às 02h

Você já ficou com aquele frio na barriga e não sabe como perder o medo de falar em público? Geralmente, as mãos começam a ficar geladas, você começa a suar frio e bate aquela sensação de que o coração vai sair pela boca de tanta ansiedade?

Seja para uma apresentação de trabalho da escola, da faculdade ou até mesmo uma apresentação no ambiente corporativo, tem muita gente por aí tentando saber como driblar essa situação.

Algumas dicas com alguns especialistas no assunto. Dê só uma olhada nas orientações da Ana Carolina Martins, instrutora do treinamento de apresentador.

Uma consultoria de comunicação especializada em soluções para apresentações.

Estruture o roteiro

Quando a pessoa está confortável com o conteúdo, alinhada com as mensagens principais que precisam ser passadas, naturalmente, ela se sente mais confiante, ou seja, emocionalmente preparada para se apresentar. Por isso, faça um roteiro para a sua apresentação.

Prepare o emocional

Essa etapa envolve elevar o nível de consciência sobre emoções, para que tenha mais controle sobre o seu estado interno. A prática recomendada para se preparar emocionalmente é o mindfulness, que na verdade é aperfeiçoada por meio de um treino diário.

Antes de uma apresentação, é fundamental fazer um preparo emocional, que consiste em tomar consciência de quais são as emoções presentes no momento (nervosismo, ansiedade, preguiça), depois trazer também para a mente consciente as oportunidades de fazer essa apresentação (vender uma ideia, demonstrar que é uma profissional preparado para assumir novos desafios, transmitir conhecimento) e por fim, fazer um processo de quatro inspirações e expirações pelo nariz, direcionando os pensamentos para o momento presente. Aí, é encarar o desafio!

Treine bastante

Simular a apresentação tentando se aproximar o máximo possível da situação real também ajuda o preparo para o momento decisivo, uma vez que a pessoa já começa a experimentar as sensações do momento real. Treine bastante”

Como começar

É interessante começar em um ambiente de menor vulnerabilidade, em que o medo de ser julgado é menor, como por exemplo, treinando apresentar para família ou amigos. Mas, sem dúvida, a melhor forma de desenvolver a habilidade de falar em público é falando! Enfrentando o medo e se colocando nas situações de exposição sempre que possível. Quanto mais experiência prática, aos poucos, fica cada vez mais fácil e confortável lidar com essa situação.

Em relação à alimentação, evite:

  • Leite e derivados. Eles aumentam a quantidade e a viscosidade do muco no aparelho respiratório;
  • Alimentos gordurosos ou muito condimentados dificultam a digestão e influenciam na movimentação do diafragma, músculo que deve apoiar a emissão da voz;
  • Café, chocolate, chá preto desidratam a mucosa das pregas vocais;
  • Refrigerantes prejudicam a digestão e o apoio diafragmático.

Dê preferência para:

  • Sucos cítricos aumentam a salivação e relaxam a musculatura da garganta;
  • Líquidos quentes, como chás, melhoram a circulação e dão mais conforto;
  • Frutas duras preparam os músculos articuladores. A maçã, em especial, contém uma substância que higieniza a cavidade oral.

Hidratação: ingerir em média 10 copos de água por dia, especialmente antes e durante a apresentação. Quando estiver falando e sentir a boca seca, é interessante dar pequenas mordidas na ponta da língua, para aumentar a salivação.

Sono: quando conseguimos descansar bem, nossa voz é produzida da melhor forma. Quando estamos cansados, a primeira coisa que economizamos é a articulação. A gente passa a falar movimentando pouco a boca, e isso transmite como nos sentimos; portanto, vale a pena ficar atento e procurar movimentar bem a boca.

Medicamentos: alguns interferem na voz e seu uso deve ser bem avaliado. O ácido acetil-salicílico (Aspirina, AAS, Buferin...) aumenta a probabilidade de hemorragia na prega vocal. Os remédios para emagrecer geralmente contém diuréticos, que fazem com que o corpo perca água. Os antialérgicos ressecam a mucosa das pregas vocais. Os calmantes aumentam a imprecisão articulatória. Os anticoncepcionais podem provocar inchaço nas pregas vocais, assim como os corticóides.

Ar-condicionado: apesar de o grau de sensibilidade ser extremamente individual, o ar-condicionado retira a umidade do ambiente, e a nossa própria também. A umidade é essencial para o bom funcionamento das pregas vocais, portanto o “antídoto” é: tome mais água e procure evitar ao máximo, principalmente no carro e diretamente no rosto, se você for mais sensível.

Roupas: as roupas não podem, de maneira nenhuma, pressionar a região da garganta e do diafragma (cintura). Prefira tecidos leves e fibras naturais, sapatos confortáveis e solado de couro.

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016