• Home  
  •   
  • Tecnologia  
  •   
  • 30 dicas de Marketing Digital no Facebook  

30 dicas de Marketing Digital no Facebook

Publicado em 7 de Maio de 2019 às 20h

30 dicas de marketing digital no Facebook

Olá! escrevemos essas dicas divididas em 4 grandes capítulos:

  • Facebook Ads,
  • Dicas de Conteúdo não pago,
  • Reflexões
  • Experiências pessoas.

DICAS DE FACEBOOK ADS

DICAS DE FACEBOOK ADS

A cegueira

Em 1995 os banners eram a maravilha da internet. 95 em cada 100 visitantes de um site clicavam nos banners.

Parecia estar ali a salvação para a rentabilização de qualquer site: criávamos conteúdo, inseríamos banners e puff!

Já estávamos a ganhar pela publicidade nos nossos sites.

Mas essa realidade foi mudando…

E desde há alguns anos enfrentamos aquilo que muitas pessoas chamam a cegueira dos banners.

Este fenômeno é muito simples: as pessoas são expostas a tanta publicidade durante o dia que elas simplesmente ignoram essa publicidade de forma automática.

Quando terminar de ler este texto, vá até um site e veja para onde os seus olhos vão se focar.

Eles vão diretos ao conteúdo, de forma automática!

Eles ignoram os banners sem que você precise de fazer qualquer esforço para que isso aconteça.

Agora vamos passar essa realidade para o Facebook…

Lá para 2013, quando a publicidade do Facebook era uma novidade, a taxa de cliques em anúncios era extremamente elevada.

O CTR – a taxa de cliques nos seus anúncios – era alto. Era bastante comum os anúncios terem taxas de cliques de 10 ou 15%.

Só que ai o jogo mudou e a cegueira atingiu o Facebook: os usuários do Facebook, sem se aperceberem, começam a ignorar os anúncios.

E não falo só pela minha própria experiência!

Podia citar aqui dezenas de estudos que comprovam a queda do CTR no

computador (no mobile a conversa é outra) desde 2013 até 2016.

Mas calma profetas do apocalipse: isto não quer dizer que os anúncios de Facebook deixaram de funcionar!

Este é um processo normal que a própria plataforma enfrenta.

Mas ao contrário dos banners, no Facebook nós podemos ter várias variáveis que tornam os nossos anúncios mais interessantes e menos susceptíveis a perderem performance.

Podemos trabalhar o texto, a imagem mas, acima de tudo, a segmentação!

O futuro do sucesso dos anúncios do Facebook passa, essencialmente, por 3 coisas:

– Saber entregar cada vez mais o seu anúncio ao público certo.
Quem não souber segmentar, vai perder performance nas suas campanhas;

– Variação de anúncios. O Facebook hoje tem várias possibilidades na hora de criar anúncios.
Explore todas elas;

-Fazer cada vez mais anúncios que não parecem anúncios.
Está cada vez mais difícil ter resultados com anúncios no Facebook?

Talvez. Mas este é o momento em que os bons profissionais se separam dos amadores.

É a típica frase: adapte-se ou desapareça.

Nos anúncios de Facebook isso não é diferente.

A complexidade de conhecimento

Fazer anúncios no Facebook é algo bem mais complexo do que apenas saber quais os passos necessários para colocar seu anúncio no ar.

Para você ser bem sucedido em Facebook Ads, você precisa de entender sobre outras áreas ou pelo menos ter alguém que possa trabalhar com você nessas mesmas áreas.

Confira algumas delas:

Design

Muito do sucesso do seu anúncio está ligado ao design.

Uma boa imagem aumenta a taxa de cliques o que, diretamente, diminui o custo por clique
que você vai ter no seu anúncio.

Mas atenção que muitas vezes um design bonito não é suficiente.

Você precisa ter noção que uma imagem bonita e uma imagem que converte podem ser coisas bem diferentes.

Já vi imagens muito bonitas que geravam poucos cliques enquanto outras imagens algo amadoras geravam conversões espetaculares.

O meu conselho é que você estude um pouco sobre design para, pelo menos, ficar um pouco por dentro de todo o processo da criação de uma imagem.

Copywriting

A par da imagem, o texto é o que vai fazer o usuário clicar (ou não) no seu anúncio.

Se você nunca estudou sobre copywriting, comece a fazê-loo quantos antes.

Sociologia

Não podemos esquecer que, apesar de estarmos trabalhando numa plataforma online, continuamos vendendo para pessoas.

E por isso é necessário, enquanto anunciante, que você tente entender como os seus potenciais clientes se sentem, por que razão eles compram algo e quais são os seus principais receios.

Uma boa forma de entender um pouco melhor sobre quem é realmente o seu público é usar o Mapa da Empatia.

Conversão

De nada vale uma boa performance do seu anúncio se o seu site não tem uma boa taxa de conversão!

Estude pormenores como cores, estrutura das páginas, gatilhos que fazem o cliente comprar mais facilmente ou até mesmo quais os melhores softwares para criar landing pages.

Análise de dados

Um bom anunciante de Facebook tem que saber olhar para números de forma crítica.

E não estou falando só dos relatórios do Facebook.

Estou falando nos relatórios do Analytics ou de outras ferramentas externas que possam ajudar os seus anúncios a terem uma melhor performance.

E agora fica a dúvida que muitos me colocam: delego essas tarefas ou faço eu mesmo?

O meu conselho sincero é que, numa fase inicial, seja você a fazer esse trabalho.

Ter noção de como funciona cada uma dessas partes vai permitir que no futuro possa contratar alguém que realmente vai fazer um bom trabalho.

Eu mesmo continuo criando algumas imagens, fazendo os copys dos anúncios ou criando páginas para conversão.

Obviamente, quando o volume é grande, eu delego.

Mas ter a experiência prática permite que consiga delegar com maior assertividade.

7 erros comuns nos anúncios de Facebook

1 -Não definir o objetivo de forma correta: Quando cria um anúncio, o primeiro passo é definir os objetivos corretos.
Se você quer gerar vendas, selecione a opção de conversões.
Se quer gerar cliques para o site, selecione a opção cliques para o site.
Em algumas exceções, esta “lógica” pode não ser assim, mas em grande parte das vezes, é.

2 -Não definir as métricas principais: qual o preço máximo que você está disposto a pagar por venda?
Qual o seu CTR ideal? E o Custo Por Clique?

3 – Não inserir um Call to Action: Se você quer que as pessoas cliquem no seu anúncio, deixe isso bem claro para elas.

4 . Não testar várias possibilidades. Teste segmentações. Teste copys.
Teste imagens. TESTE.

5 – Não excluir públicos. Por que razão você continua a mostrar o anúncio para aquela pessoa que já converteu? Exclua ele na segmentação dos públicos!

6 -Dê tempo à inteligência do Facebook funcionar. Geralmente, em menos de 48 horas a sua campanha ainda não atingiu a sua máxima performance.
Remove-la antes disso pode não ser a melhor coisa a fazer.

7 -Não verificar os pixeis. Se está a usar os pixeis do Facebook, confira se todos eles estão bem inseridos. Basta UM deles estar mal inserido para a sua campanha não performar bem.

Funis

Em todo o seu processo de vendas -tanto online como offline -você tem que pensar que o seu cliente está num funil.
A maioria dos empreendedores só se foca em vender diretamente e por isso não consegue bons resultados.

O marketing é mais do que um processo de vendas: é um processo de ligação que acontece entre você e o seu cliente.

Uma boa ideia é seguir o funil de AARRR.

Veja quais são os passos desse funil:

Passo 1: Aquisição

Tal como o próprio nome indica, o objetivo deste primeiro passo é adquirir o máximo de pessoas qualificadas para o topo do funil.

Isso pode ser feito com Facebook Ads, por exemplo.

Passo 2: Ativação

Aqui é o momento em que o usuário faz alguma ação.

Isso pode significar baixar um ebook, visitar o seu site ou simplesmente ver um vídeo seu.

Passo 3: Retenção

Neste ponto as pessoas passam a seguir o seu trabalho de forma constante.

Elas passam a acompanhar o seu conteúdo e tornam-se numa base de fãs apaixonadas pelo seu trabalho.

Passo 4: Retorno

É aqui que você começa a fazer dinheiro.

Depois de captar a atenção do cliente, de fazê-lo consumir o conteúdo e voltar, está na hora de vender algo para ele.

Passo 5: Recomendação

Quando você tem um bom produto, o passo final deve ser aquele em que os seus clientes passam a recomendar aquilo que você vende.

É o momento em que eles passam a ser autênticos embaixadores da sua marca.

Quando definir a sua estratégia de marketing, pense nela do ponto de vista do funil de AARRR.

Garanto que vai melhorar os seus resultados.

Fórmulas

Quem procura por fórmulas prontas de anúncios de Facebook está atuando como aquele aluno que decora as coisas para passar na prova: no momento ele cumpriu o objetivo, mas não aprendeu algo que possa ajudar ele no futuro.

E ai muda algo o Facebook ou no hábito dos usuários e ele fica perdido, sem saber o que fazer.

E ai compra outro curso…

Quando você compra cursos que vendem fórmulas prontas você resolve o seu problema no momento, mas não aprende algo que vai ajudar você para o resto da vida.

Procure cursos e treinamentos – sobre qualquer área – que ensinem você a fazer, mas também que gerem perguntas na sua cabeça para que você esteja numa fase constante de aprendizagem 🙂

Marque um amigo no Facebook que possa gostar deste texto.

Em equipa que ganha não se mexe

No Facebook -e como muitas coisas na vida -não existe apenas um caminho para o sucesso.

Se alguém disser que para você ter sucesso no Facebook deve fazer só daquela forma, questione isso.

O seu anúncio parece feio mas vende? Continue com ele!

Aquela segmentação que você fez não é recomendada pelos “grandes gurus” mas ainda gera leads?

Continue com ela!

Não mude uma estratégia que dá certo apenas porque alguém disse para você que a outra era bem melhor.

O melhor indicador que você pode ter do sucesso da sua estratégia é o retorno que ele está dando.

Por vezes ficar quieto é o melhor que você pode fazer.

Marque um amigo no Facebook que possa gostar deste texto.

Foque no título

Segundo David Ogilvy, o título de um texto é lido 5 vezes mais do que o corpo desse mesmo texto.

Isso significa que 80 centavos de cada real que você investe em anúncios -e isso se aplica também ao Facebook – é “gasto” com o seu título.

Pense nisso antes de criar o seu próximo anúncio!

Gatilhos emocionais

Alguns gatilhos emocionais que o usuário deve sentir quando vê um anúncio seu:

-Deve sentir-se aceite
-Compreendido
-Necessário
-Valorizado
-Sentir que está no controle
-Livre
-Equilibrado
-Que alguém se preocupa com ele
-Seguro
-Num novo desafio
-Autônomo
-Que está se divertindo
-Em frente a uma nova oportunidade
O seu anúncio provoca alguma dessas sensações em quem visualiza ele?

10 coisas que deve fazer antes de iniciar uma
campanha paga

1-Qual o seu orçamento e durante quanto tempo essa campanha vai estar no ar

2- Quanto você está disposto a pagar pelo seu objetivo (Seja ele lead,venda ou qualquer outro)

3-Quanto você espera pagar NO MÁXIMO pelo passo anterior ao ponto

2 (ter uma ideia, não precisa ser exato). Ex: se quiser vender produtos,quanto você está disposto a pagar por clique para o site?

4-Quais são os micropassos que o seu potencial cliente vai ter que percorrer até ao objetivo final?

5-Quais as 5 principais razões que fazem ele comprar o seu produto. Use uma ou mais dessas razões nas suas variações de anúncios

6- O que é que você tem atualmente que possa ajudar a segmentar o seu anúncio de forma mais precisa? (Ex: página de fãs, lista de emails, site ou outro)

7-Você já tem tudo pronto para fazer remarketing para quem visitou a sua página e não cumpriu o objetivo final?

8-Quais as variações de anúncios que você considera que convertem melhor? (Link, video, formulário de leads, ou outra) Teste pelo menos 3 possibilidades.

9-O seu site está pronto para receber visitantes provenientes do celular?

10- Se sim, você selecionou a opção do seu anúncio aparecer APENAS para usuários ligados ao wi-fi caso eles precisem de comprar ou ver algum video?

Pegue este checklist e use na sua próxima campanha.

Marque um amigo no Facebook que possa gostar deste texto.

Como saber se meus anúncios estão chegando as pessoas certas?

Este é uma pergunta muito comum que recebo nos meus treinamentos presenciais e online.

A resposta mais óbvia é: veja os resultados nos relatórios do Facebook.

Mas o problema desta resposta é que, dependendo do conhecimento do anunciante, ele vai olhar mas não vai ver nada.

Ou seja, ele vai olhar para aquela quantidade de números e percentuais e não vai entender nada daquilo que é transmitido!

Uma forma mais simples de entender se o seu anúncio está tendo resultado ou não, é olhar para os likes, comentários e compartilhamentos.

Muito simples: quer vender um produto para profissionais de marketing?

Então confira se as pessoas que estão curtindo, comentando e compartilhado são profissionais de marketing!

Quer vender um produto para médicos? Então confira se as pessoas que estão curtindo, comentando e compartilhado são médicos!

Se você está tentando vender para CEO’s de empresas e quem está comentando seus posts são pessoas que estão desempregadas, algo está errado na sua segmentação e no seu anúncio!

Esta estratégia não resolve todos os seus problemas, mas vai ajudá-lo a ter uma perspectiva melhor da performance do seu anúncio.

DICAS DE CONTEÚDO NÃO PAGO

DICAS DE CONTE�DO N�O PAGO

O algoritmo

A forma como o Facebook seleciona o conteúdo que vemos é um grande mistério.

Sabemos que ele seleciona aquilo que vemos com base em interações, há quanto tempo algo foi publicado ou comentários de amigos.

Mas não sabemos muito mais do que isso.

Porém, Adam Mosseri, funcionário do Facebook, fez algumas revelações importantes sobre como o algoritmo do News Feed funciona e, principalmente, qual a ordem de análise que ele segue.

Segundo Mosseri, quando o usuário entra no seu News Feed, o Facebook analisa todo o conteúdo de amigos e páginas. Ele chama a essa fase de “Inventory”.

Depois, ele passa para a segunda fase, que ele chama de “signals”. Eles avaliam vários detalhes tais como:

-Quem postou

-Qual o dispositivo que o usuário está usando

-Há quanto tempo publicou

-Frequência de posts desse usuário

-Engajamento que esse mesmo post já tem

-Comentários negativos recebidos anteriormente por esse autor

-Se o post tem comentários de amigos ou não

-Se for um perfil, se ele tem muita informação ou não

-O formato do conteúdo

-Média de tempo que os usuários passam lendo aquele post

Enfim, são analisados centenas de dados.

Os donos de Fan Pages adoram estratégias ninja que vão impulsionar rapidamente o engajamento.

Adoram estratégias ninja para enganar o Facebook e ter mais alcance. Adoram estudos enormes que indicam qual o melhor horário para postar ou que tipo de conteúdo devem postar.

Ok, isso é importante, mas você tem que entender uma coisa…

Depois, ele define uma avaliação para esse mesmo conteúdo com base nos dados fornecidos.

A esta fase ele chama de “Predictions”.

Após isso, ele coloca o conteúdo por ordem de interesse.

O conteúdo com uma avaliação mais elevada aparece primeiro, depois o segundo com maior avaliação e por ai vai.

Esta última fase é chamada de “score”.

O que podemos aprender com isso? Que temos que pensar muito bem no nosso conteúdo se queremos realmente ter sucesso com conteúdo orgânico.

A base de tudo é interação. Se temos interação nos posts, alcançaremos mais pessoas.

Lembre-se: as pessoas não entram nas redes sociais para verem anúncios.

Elas entram para relaxarem, receberem informação e divertirem-se.

Resta saber como, no meio de tudo isto, a sua marca pode destacar-se.

É a velha história: entretenha, eduque ou informe. Esta é a base para os seus posts.

A bola está do seu lado.

Pare de falar com robôs

Por mais robôs e algoritmos que existam, você continua publicando para pessoas.

Sim, P E S S O A S

Que tal se focar em gerar um conteúdo EXCELENTE para elas?

Que tal se focar em ser consistente nas suas publicações?

Que tal se focar em responder e interagir para elas?

Quando você trabalha baseado em robôs e em algoritmos, você está dependente deles.

Se eles mudarem algo, você corre o risco de perder todo o trabalho que você fez.

Agora, quando você trabalha para pessoas, você passa a estar no controle.

Você cria uma necessidade que nenhum algoritmo consegue roubar: a necessidade de acompanharem VOCÊ.

Se você criar uma verdadeira legião de fãs, eles vão clicar para receber assuas notificações, ele vão colocar você primeiro no feed, ele vão fazer e acontecer só para acompanharem você.

Já os robôs esses, meus amigos, adoram pessoas que ficam dependente deles.

Quanto mais dependente deles você tiver, mais você terá que pagar.

Pense nisso.

13 dicas de criação de conteúdo gratuito

1) Seja consistente. Se você fica muito tempo sem publicar, o Facebook vai prejudicar a relação que você tem com seus fãs.

2) Compartilhe o HEN:
-Humor
-Ensinar
-Novidades
Todos estes tipos de post geram um elevado engajamento

3) Faça perguntas. Mas faça perguntas que precisem de uma resposta rápida como Sim ou Não. Quanto mais você complicar, menos respostas vai ter.

4) Faça uploads dos vídeos diretamente do Facebook e não compartilhe a partir do Youtube. O Facebook privilegia os vídeos subidos diretamente na sua plataforma.

5) Faça transmissões ao vivo. Você não precisa aparecer. Quer mostrar os seus produtos? Coloque o seu celular filmando o produto e faça uma explicação sobre ele ao vivo.

6) Se puder, tente ser o mais pessoal possível. Pessoas se conectam com pessoas.

7) Se for possível, apareça em alguns de seus posts. Mais uma vez: pessoas se conectam com pessoas.

8) Olhe para a sua Fan Page como um jardim. Ela não é um repositório onde você só vende, vende e vende. Interaja com seus fãs, dê conteúdo para eles que mais tarde você vai colher os frutos.

9) Responda aos comentários dos seus fãs. Você está numa rede social e ela serve para isso mesmo: socializar.

10) Tenha uma voz. Vai ser mais formal ou informal? Vai usar Emojis ou ser mais sério? A escolha é sua. Mas depois de escolher, mantenha o mesmo estilo.

11) Olhe para as estatísticas. Elas vão dar uma ideia de que gênero de posts sua audiência mais gosta ou até mesmo de quando deve postar.

12) Faça experiências. Não tenha medo de testar. Teste vídeos, imagens, textos, links, o que for! Só assim você vai entender o que mais gera resultado.

13) Use depoimentos de seus clientes. Isso gera confiança com a sua marca.

Os 3 princípios

Lembre-se que as pessoas estão nas redes sociais para fazerem 3 coisas:

Entretenimento Informação Educação

Os seus posts fazem alguma destas 3 coisas?

Emojis: sim ou não?

Muitas empresas têm usado, tanto para os posts orgânicos como para os anúncios, os famosos Emojis.

Mas será que eles têm um impacto assim tão grande na performance daquilo que publicamos nas mídias sociais?

Um estudo realizado pela empresa Emogi revelou alguns dados interessantes que podem ajudá-lo a tomar a decisão se deve usar ou não usar Emojis:

-Os emojis são mais usados por mulheres do que por homens -Os emojis são mais usados pelas pessoas que têm entre 25 e os 29 anos

-Mais de 50% das pessoas com mais de 35 anos afirmam que usam Emojis de forma regular

– Nos anúncios analisados, os Emojis aumentaram 9,2% a taxa de cliques dos anúncios.

Os Emojis têm uma relevância tão grande na comunicação de algumas empresas e eventos que a própria Premier League criou seus próprios Emojis.

De qualquer das formas, fica o aviso: se você não usa Emojis, pode estar perdendo uma forma de interagir com as pessoas que seguem a sua empresa!

Tribos

A criação de uma comunidade de pessoas que acompanham o seu conteúdo é o bem mais precioso da internet.

Quando tem pessoas que acompanham o seu conteúdo, você não está dependente de algoritmos, de anúncios que sobem e descem preço ou de modas de mercado.

Ok, algoritmos podem dificultar e facilitar sua vida. Seria hipócrita se não tivesse isso em consideração.

Mas se você tiver uma comunidade de pessoas que gostam de você e do seu conteúdo, você estará muito mais protegido das variações das redes sociais.

O que você tem feito ultimamente para ficar imune às variações de algoritmos?

REFLEXÕES

REFLEX�ES

Entenda de pessoas

A maioria dos empreendedores que trabalham com o Social Media da própria empresa, eles não falham porque não sabem a parte técnica.

Como fazer campanhas, fazer posts ou começar lives, é algo que você encontra em cursos online ou mesmo em alguns tutoriais do youtube.

A maioria falha porque não entende de pessoas.

Não entende o que faz um usuário comentar, o que faz ele parar de navegar no News Feed para ver o seu post. E essa parte social e humana, é algo que você pode aprender com livros de filosofia ou prestando atenção com o que as pessoas fazem no dia-a-dia.

Dominar a técnica é importante, mas aprender mais sobre quem vai receber esse conteúdo, é igualmente determinante.

Marque um amigo no Facebook que possa gostar deste texto.

Reclamar

Quando a internet surgiu, as pessoas reclamaram.

Quando o Facebook surgiu, as pessoas reclamaram.

Quando o Instagram surgiu, as pessoas reclamaram.

Quando o Snapchat surgiu, as pessoas reclamaram.

Quando os Stories surgiram, as pessoas reclamaram.

Você é empreendedor. A sua função não é analisar se uma rede social ou um tipo de post é interessante ou não.

A sua função é estar onde a sua audiência está.

Até porque nós já sabemos o final: primeiro estranhamos, mas depois até nos habituamos

Marque um amigo no Facebook que possa gostar deste texto.

O motivo de escrever um livro

Muitas pessoas me perguntam qual a razão para eu escrever um livro físico sobre Facebook neste momento.

A explicação é muito simples: nem tudo pode viver exclusivamente do online.

Se alguém vender a ideia de que o seu negócio para ter sucesso tem que migrar 100% para o online, questione o que essa pessoa está dizendo.

Por mais digital que esteja o mundo, as pessoas continuam sendo pessoas.

Continuam tendo necessidade de sentirem aquilo que compram, de conhecerem as pessoas cara a cara.

Se você está tentando ter sucesso trabalhando exclusivamente online, talvez você esteja tomando a decisão errada.

Continue fazendo encontro presenciais.

Continue participando em treinamentos que exijam a sua presença.

Continue tendo almoços e jantares de negócios.

Quando converter um contato pelo Facebook, não se comunique apenas por email com ele.

Ligue para ele, convide ele para visitar o seu espaço ou fazer um treinamento presencial com você.

Nada substitui a presença humana. Nada.

Fale para os seus clientes

As redes sociais trouxeram a possibilidade do pequeno e médio empreendedor fazer algumas ações de marketing para o seu negócio. Isso trouxe coisas muito boas, mas também outras menos boas.

E na parte menos boa, a verdade é que muitos empreendedores ainda não aprenderam a comunicar para os seus clientes. Continuam comunicando como se estivessem falando para seus colegas de profissão, usando termos técnicos e falando palavras que os seus potenciais clientes não vão entender.

Ter uma linguagem de simples entendimento – que é diferente de uma linguagem pobre em termos de conteúdo – vai ajudar as pessoas a se conectarem com a sua marca e, com isso, prestarem mais atenção ao seu conteúdo.

Por isso, antes de publicar seu próximo post, reflita: esse texto foi escrito para você e seus colegas entenderem ou foi escrito para o seu potencial cliente entender?

Exemplo se a minha mãe – que tem pouca familiaridade com as redes sociais – entendesse meu conteúdo, então tinha cumprido o meu objetivo.

Por vezes, menos é mais.

Previsões

8 coisas que vão fazer você poupar muito dinheiro em Facebook Ads em
2017:

-Não crie anúncios a partir do aplicativo para celular do Facebook;

-Não tome decisões analisando relatórios a partir do aplicativo de anúncios do Facebook;

-Edite as posições quando fizer anúncios de Facebook. O seu anúncio deve ser diferente quando criado para celular, desktop, Instagram, coluna direita, etc;

– Não faça anúncios que contenham vídeos para usuários que não têm ligação ao Wi-Fi;

-Não faça anúncios de vendas para usuários que estejam usando o 3G.

Podem surgir algumas vendas, mas é bem mais provável que eles comprem ligados ao Wi-Fi;

– Evite enviar usuários diretamente para páginas de vendas com produtos acima de 500 reais. A minha experiência me diz que para produtos desse ticket a conversão é bem menor;

-Antes de anunciar para mobile, certifique-se que a sua página é 100% responsiva. Caso contrário vai ter dificuldades na hora de converter;

– Se o Facebook disser que o seu anúncio está com muito texto, troque a imagem. Geralmente a performance cai após esse aviso.

Fanáticos

É melhor ter um pequeno grupo de pessoas que acompanham o seu trabalho do que ter um grande grupo de pessoas que apenas apreciam o seu trabalho.

Fanáticos compram livros, defendem a marca e espalham a sua voz para os quatro cantos do mundo. Pessoas que apenas apreciam pouco fazem pelo seu negócio!

Mão na Massa

Se você gosta do meu conteúdo, gostou do meu livro e dos meus cursos, vou pedir um favor:coloque a mão na massa e faça anúncios no Facebook.

Acompanhar as novidades do Facebook é importante, receber as melhores dicas é fundamental, mas nada vai acelerar o seu conhecimento mais do que a prática.

Nem que invista apenas 20 reais por semana. Vai lá, teste, erre, volte a tentar.

Vá além da leitura e do discurso e assuma riscos.

Vai ver como, daqui a uns meses, você estará agradecendo por ter lido esse texto.

Marque um amigo no Facebook que possa gostar deste texto.

Olhe para as crianças

Se olharmos para as redes sociais, podemos concluir o seguinte: as crianças se adaptam muito mais rápido do que nós (adultos) às redes sociais.

Quais os motivos para isso? São, na verdade, dois.

A primeira é que eles não têm medo da crítica.

As crianças fazem músicas no Musical.ly ou usam os filtros no Snap sem pensarem na opinião alheia.

Quando surgiram as transmissões ao vivo e os Stories, muitos adultos não usavam esta nova funcionalidade porque tinham medo da crítica.

“As pessoas vão me avaliar” ou “Vou fazer figura de otário”.

Esqueça isso e comece a praticar sem se focar na crítica.

O segundo motivo para as crianças se adaptarem tão bem, é porque elas não trazem experiências anteriores de redes sociais.

Quando uma criança parte para a experiência numa nova rede social, ela está com a mente
aberta.

Ela nunca usou o Orkut ou o Facebook anteriormente. E, por isso, quando começa a usar uma nova rede social, ela está aberta a novas experiências e sensações.

Nós adultos, por outro lado, quando entramos numa nova rede social, esperamos ver nela aquilo que já víamos nas anteriores.

Quando muitas pessoas entraram no Facebook, esperavam a réplica do orkut.

Quando muitas entraram no Snap, esperavam uma réplica do Facebook. E por aí vai…

Tente abrir um pouco mais a sua mente e expor-se ao desconhecido.

E, se tiver filhos, aproveite para aprender com eles.

Eles podem ser excelentes professores quando o assunto são as redes sociais!

2 tipos de pessoas

(Este texto foi publicado quando os Stories foram lançados)

Neste momento existem 2 tipos de pessoas no marketing online:

– Aquelas que estão experimentando os stories, testando o que podem retirar desse novo formato.

Não quer dizer que gostem ou acreditam, mas estão vendo como podem usá-los da melhor forma.

– E existem os que estão rejeitando, não usam e estão dizendo que não vai funcionar e que o Mark enlouqueceu.

Você acha que o dono do Facebook ia lançar uma funcionalidade destas sem antes refletir muito sobre ela?

Não peço que você goste ou aprove, peço que tente.

Se der certo, boa! Se der errado, pelo menos você testou.

Mostre-se

Uma coisa que me tenho apercebido ao longo dos últimos meses, é que as pessoas compram cada vez mais de você e cada vez menos o seu produto.

Não que o seu produto tenha de ser ruim, nada disso.

O seu produto ou serviço tem de ser muito bom, mas na indecisão entre o produto/serviço A, B ou C, as pessoas vão comprar de quem elas se identificam mais, de quem elas confiam.

Usar as redes sociais para mostrar quem você é, como você se comunica ou quais os seus valores, é cada vez mais importante.

Por isso saia de trás dos bastidores! Conte a sua história, mostre quem você realmente é no Facebook, no Instagram ou em qualquer outra mídia.

O mercado está repleto de pessoas com qualidade que não sabem mostrar o seu talento.

Não seja mais uma dessas pessoas.

EXPERIÊNCIAS PESSOAIS

EXPERI�NCIAS PESSOAIS

Faça diferente

Jamais despreze um gesto que possa agradar aos seus clientes.

O motivo

Quando pergunto a algumas pessoas nas palestras o motivo de terem uma página de Facebook, geralmente as respostas são:

-Porque as pessoas agora usam muito as redes sociais

-Porque é uma forma de me comunicar com meus clientes

-Para gerar vendas

E por ai vai..

Quando o princípio é esse, a base de qualquer conta numa rede social já começa de forma errada!

É certo que uma página serve para isso, mas isso é o final do processo.

No meu caso, o grande motivo de ter esta página de Facebook é entregar conteúdo que gere resultados para quem me acompanha!

E eu faço isso falando sobre as novidades, mostrando cases, respondendo às pessoas, etc

Esse é o grande Porquê de ter esta página! Isso depois leva à venda de livros, cursos, gera clientes, etc

Mas isso é apenas a consequência!

Por isso, reflita: qual o grande motivo da SUA empresa ter uma conta numa rede social?

Processo

Aprenda durante o processo. Se tem algo que posso dizer que a minha experiência me ensinou é: o processo é o seu melhor mentor.

Quer fazer o seu primeiro anúncio de Facebook? Aprenda no processo.

Começar a gravar vídeos? Aprenda no processo.

Trabalhar o marketing da sua empresa? Aprenda no processo.

Nada melhor que a experiência do dia-a-dia para acelerar seu conhecimento.

O método de estudar até ao dia da prova para ai, testar seus conhecimentos, não se aplica tanto nos negócios como no marketing.

O processo é o seu professor e a sua prova ao mesmo tempo.

Que nesta semana que você possa começar algo que você deseja fazer há muito tempo.

Consistência

Quando comecei escrevia todos os dias escrevi um texto para o blog durante o primeiro ano.

Aqui na minha página de Facebook, todas as semanas tem algo novo (preciso aumentar ainda mais a frequência). Tudo isto para falar o quê?

Que a consistência é um dos pilares do conteúdo online!

Essa é a razão de só meia dúzia terem sucesso e gerarem interação com seus fãs e seguidores.

A maioria vai lá, trabalha consistentemente durante 1 mês e desiste.

Seja o mais teimoso dos produtores de conteúdo.

Criar uma comunidade exige consistência!

Se você não tem tempo para pensar e executar o seu marketing, quem terá?

Esteja onde o público está

Quando me perguntaram qual a melhor mídia para qualquer negócio, a minha resposta é sempre a mesma: esteja onde o seu público está.

E isso pode ser o Face, o Insta, o Snap, jornal ou até rádio!

Não adianta você querer forçar uma estratégia de mídia onde o seu público NÃO ESTÁ só porque é cool ou porque algum especialista ou estudo disse que sim.

Você está no jogo da audiência e da atenção, nunca se esqueça disso.

Como saber qual a melhor? Testando.

Conclusão

Com uma nova visão sobre o Marketing Digital e as redes sociais, agora você já pode trabalhar sua marca de um modo mais profissional.

Você tem, nas suas mãos, uma das ferramentas poderosas da internet: o conhecimento.

Mas isso não é suficiente para ter sucesso neste mundo tão desafiante.

Você precisa colocar tudo aquilo que aprendeu, aqui, em prática!

E este é um dos grandes problemas de quem estuda marketing digital:

acaba consumindo muito conteúdo mas depois não coloca em prática.

Se pudesse deixar uma última mensagem, seria esta: coloque tudo aquilo que ensinei aqui em prática!

FONTE J SISTEMAS WEB

O Passe Digital é um site colaborativo de artigos, e seu conteúdo é de responsabilidade de seus autores. O site Passe Digital não compactua com qualquer prática ilícita, ou com a publicação de conteúdo que viole direitos autorais. Havendo qualquer denúncia acerca dessa postagem, por favor nos informe clicando aqui.
A seguir várias soluções para seu negócio:
E-mail marketingValidação de e-mailsValidação de telefonesAtendimento via WhatsappDivulgação de produtosAnti-SPAMVárias ferramentas de marketing
Fale conoscoComo colaborarQuem somosVersão mobile
Passe Digital - um produto da LinkWS - desde 2016